segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Boa notícia: venda de vinhos, espumantes e suco de uva até novembro já ultrapassa total de 2008


Todos sabem que a Tess é fã dos vinhos e espumantes brasileiros, defendemos esta bandeira com unhas e dentes. O melhor de tudo são que as notícias boas, sobre o segmento, não param de chegar.

Até novembro deste ano, a comercialização de vinhos, espumantes e suco de uva elaborados no Rio Grande do Sul – Estado responsável por cerca de 90% da produção nacional – já ultrapassou os volumes alcançados em todo o ano passado. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), foram vendidos 219,8 milhões de litros de vinhos finos e de mesa nos 11 meses de 2009, ante 214,5 milhões de litros colocados nos 12 meses de 2008. Em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram negociados 193,8 milhões de litros, ocorreu um aumento de 13,5% este ano.

Os espumantes superaram os 9,46 milhões de litros vendidos no ano passado, atingindo a comercialização de 9,59 milhões de litros nos 11 meses do ano. Na comparação com o mesmo espaço de tempo do ano passado, que teve a distribuição de 8,08 milhões de litros, o incremento é de 18,75% de janeiro a novembro deste ano.

O suco de uva natural (com 100% da fruta) também já passou o volume colocado no mercado em 2008, que ficou em 18,3 milhões de litros. Foram esparramados 23,6 milhões de litros de janeiro a novembro de 2009, um acréscimo de 41,11% aos 17,7 milhões de igual época de 2008. A comercialização total de suco de uva (reunindo o natural, adoçado, concentrado e reprocessado) teve alta de 28,3% de janeiro a novembro deste ano, perante igual época do ano passado.

Análise
Conforme o diretor-executivo do Ibravin, Carlos Raimundo Paviani, os números mostram que a tendência de crescimento nas vendas de vinhos este ano se concretiza com o fechamento do penúltimo mês de 2009. Entretanto, Paviani observa que, apesar das boas vendas do ano, o setor ainda amarga um déficit de -2,6% na comercialização de vinhos em relação à comercialização de vinhos de 2004 a 2008, cuja média ficou em 208,4 milhões de litros.

Em 2007, por exemplo, no mesmo período de tempo, foram colocados 224,5 milhões de litros de vinho; em 2006, 239,8 milhões de litros; e em 2005, o maior volume, com 258,3 milhões de litros vendidos de janeiro a novembro. “Estamos recuperando espaços de mercado, mas ainda estamos 14,9% inferior ao volume colocado nos 11 meses de 2005 [258,3 milhões de litros], o melhor ano desta década”, alerta. “Estes resultados positivos são animadores e mostram que o setor deve continuar focado na promoção de vendas e no convencimento dos consumidores de que a qualidade dos vinhos nacionais está em constante evolução”, argumenta.

Saiba mais
Os números apurados pelo Ibravin referem-se ao Rio Grande do Sul – origem de aproximadamente 90% da produção brasileira de vinhos e derivados – conforme o Cadastro Vinícola, mantido em parceria com a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio (Seappa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). As informações não abrangem o restante do País em razão de outros estados brasileiros não implantarem o Cadastro Vinícola.

Fonte: Assessoria de Imprensa Ibravin

Nenhum comentário:

Postar um comentário